Estatística

19 de jun de 2011

YOGA BRAZIL --- O CULTIVO DA PACIÊNCIA


Cultivar a paciência.
Primeiro, devemos aprender as técnicas para lidar com a raiva. Depois,
praticá-las em nossas meditações. Isto ajuda a aumentar a nossa
familiaridade e ter confiança nessas novas maneiras de perceber as coisas.
Ao praticar estas técnicas em um ambiente pacífico - sentados em nossas
almofadas de meditação - construiremos um repertório de meios alternativos
de percepção de situações que normalmente nos deixam com raiva.

É importante treinarmos essas técnicas quando não estamos com raiva. É como
aprender a dirigir. Não vamos direto à auto-estrada no nosso primeiro dia na
auto-escola, porque estamos despreparados e sem habilidade. Ao invés disto,
dirigimos ao redor do estacionamento para ficarmos familiarizados com o
acelerador, os freios e o volante. Praticando inicialmente num ambiente
seguro, seremos capazes de lidar com o carro em situações mais perigosas no
futuro.

De maneira semelhante, primeiro praticamos a paciência quando não estamos
numa situação de conflito. Fazemos isto através de lembranças de
experiências anteriores - situações em que explodimos de raiva, ou eventos
que até agora nos deixa hostis ou magoados só em lembrá-los. Depois,
aplicamos as técnicas: repassamos um vídeo mental do evento, mas tentamos
pensar nele de maneira diferente. Ao rever a situação com uma nova
perspectiva, a raiva diminui. Então poderemos também antever a nós mesmos
respondendo ao outro de maneira diferente.

Fazer isto não só nos ajuda a dissolver mágoas e rancores passados, mas
também nos familiariza com as técnicas que podemos aplicar em situações
semelhantes no futuro. Então, sempre que uma situação ocorrer em nossas
vidas, e sentirmos nossa raiva surgir, podemos selecionar uma técnica e
aplicá-la.

Às vezes, é difícil dissolver nossa raiva mesmo quando estamos num ambiente
pacífico, porque ficamos presos nas armadilhas de nossas emoções e conceitos
equivocados do passado. Mas se aos poucos aprendermos a subjugá-los, então
quando formos ao trabalho, à escola ou às reuniões familiares, teremos boas
chances de trabalhar a nossa raiva quando ela surgir. Com uma prática
constante, seremos até capazes de evitar que a raiva sequer surja.

Subjugar a raiva é um processo lento e firme. Ao ouvir uma ou duas coisas
hoje, não espere que sua raiva se vá para sempre a partir de amanhã. Reagir
com raiva é um mau hábito profundamente enraizado, e como todos os maus
hábitos, leva tempo para ser removido. Temos de nos esforçar para
desenvolvermos a paciência.
" PRECISAMOS SER PACIENTES CONOSCO MESMO, PARA APRENDERMOS A SER PACIENTE COM OS OUTROS ".

Nenhum comentário:

Postar um comentário