Estatística

23 de jul de 2011

YOGA BRAZIL --- A HISTÓRIA DE KANDATA


Conforme a tradição budista, há cerca de 3 mil anos, um conhecido ladrão e mentiroso chegou ao fim de sua jornada terrena, depois de ter enganado muita gente. Conta a história que sua alma foi então para as regiões onde se aglomeram por afinidade, na parte mais baixa do astral, os seres que viveram na terra um grosseiro materialismo. Ali, durante séculos, o ladrão suportou agonias tremendas, corroído pelos remorsos. Sofria sem esperanças até que, um dia, o Senhor Buda começou a pregar na Terra a doutrina da verdade e da fraternidade.
Segundo a tradição, naquele momento um raio de luz divina iluminou, fugazmente, a humanidade toda e chegou até mesmo à região onde se encontrava Kandata, o delinqüente. Um pressentimento de fé e esperança nasceu então em seu íntimo. Havia percebido amargamente a inutilidade  de sua falsa inteligência. Queria buscar aquela luz. E disse, então: "Ah, Senhor abençoado, sofro profundamente, porque vejo e revejo sempre todo mal que fiz. Quero melhorar e entrar no caminho, seguindo o ideal, mas não tenho força. Ajuda-me!"
Conforme antiga doutrina, as más ações se autodestroem, enquanto as boas  geram frutos que se multiplicam. Respondendo ao apelo de Kandata, uma voz - que parecia vir de dentro - então lhe perguntou: "Kandata, será que algum dia, durante tua última vida, fizeste uma boa ação, por menor que seja? Ela pode ajudar-te, agora, a sair do estado lamentável em que estás. Mas para isto, terás também que abandonar, de agora em diante, todo egoísmo".
Kandata curvou a cabeça e ficou pensativo. Revisou outra vez toda sua vida cuidadosamente, procurando uma boa ação. Foi difícil achar alguma. Até que lembrou de algo e disse: "Um dia eu andava pelo bosque e decidi não pisar em uma pequena aranha, porque tive pena dela. Pensei que aquele pobre animal era fraco e não fazia mal a ninguém. Para que iria matá-la?".
Houve um momento de silêncio, como se um ser compassivo pesasse os sofrimentos de Kandata. Então, como por milagre, apareceu diante dele uma aranha suspensa por um fio. "Agarra este fio e sobe por ele. Ele te sustentará", explicou a voz. A aranha desapareceu. O homem agarrou-se ao fio, aparentemente frágil, e começou a subir.
Fino, mas forte, o fio da aranha resistia. Kandata seguia subindo. O inferno já estava lá embaixo, quase longe, quando o homem sentiu o fio estremecer. Kandata olhou para baixo e viu, então, que outros homens, ex-companheiros de miséria, haviam agarrado o mesmo fio e começavam a subir por ele. Queriam libertar-se dali também. Kandata ficou aterrorizado. Temia que fio se rompesse.
O fio resistia, agora, ao peso de várias pessoas, e esticava cada vez mais. Kandata já não olhava para cima. Preocupava-se sempre com a resistência do fio que já sustentava tanta gente e olhava para baixo, enquanto se movia para cima. Até que o medo egoísta tomou conta da sua consciência e ele gritou: "Este fio de aranha é meu. Larguem todos vocês esta esperança de salvação, que pertence apenas a mim". No mesmo instante, o fio de aranha partiu-se e Kandata caiu de volta ao abismo, junto com o grande cacho de seres humanos que estava pendurado no fio de aranha, na esperança de sair daquela região de dor.
A moral da história é tão clara, que fica a cargo de cada um. O sentido da fraternidade, contudo, ressalta dela, como base da Vida Una, ligando todos os reinos da natureza. No universo somos todos interdependentes - do pequenino átomo às consciências estelares - todos fazendo parte da imensurável consciência divina, dispersa em seus infinitos corpos e em suas infinitas faces. Ou seja, "ninguém se salva sozinho".

21 de jul de 2011

YOGA BRAZIL --- MEDITAÇÃO


A meditação encontra-se no meio de dois pólos; a concentração e a contemplação. É comumente associada a religiões orientais. Há dados históricos comprovando que ela é tão antiga quanto a humanidade. Não sendo exatamente originária de um povo ou região, desenvolveu-se em várias culturas diferentes e recebeu vários nomes, floresceu no Egito (o mais antigo relato), Índia, entre o povo Maia, etc. Apesar da associação entre as questões tradicionalmente relacionadas à espiritualidade e essa prática, a meditação pode também ser praticada como um instrumento para o desenvolvimento pessoal em um contexto não religioso.

A meditação costuma ser definida das seguintes maneiras:
  • um estado que é vivenciado quando a mente se torna vazia e sem pensamentos;
  • prática de focar a mente em um único objeto (por exemplo: em uma estátua religiosa, na própria respiração, em um mantra);
  • uma abertura mental para o divino, invocando a orientação de um poder mais alto;
  • análise racional de ensinamentos religiosos (como a impermanência, para os Budistas)
Prática
É fácil se observar que nossas mentes encontram-se continuamente pensando no passado (memórias) e no futuro (expectativas). Com a devida atenção, é possível diminuir a velocidade dos pensamentos, para se observar um silêncio mental em que o momento presente é vivenciado. Através da meditação, é possível separar os pensamentos da parte de nossa consciência que realiza a percepção.
É possível obter total descanso numa posição sentada e por conseguinte atingir maior profundidade na meditação assim dissolver preocupações e problemas que bloqueiam sua mente.
Uma posição possível é a posição de lótus completo, o pé esquerdo apoiado sobre a coxa direita e o pé direito apoiado sobre a coxa esquerda. Outros podem sentar em meio lótus, o pé esquerdo apoiado sobre a coxa direita ou o pé direito sobre a coxa esquerda. Há pessoas que não conseguem sentar em nenhuma dessas posições e por isso podem sentar a maneira japonesa, ou seja, com os joelhos dobrados e o tronco apoiado sobre ambas as pernas. Pondo alguma espécie de acolchoado sob os pés, a pessoa pode facilmente permanecer nessa posição por hora ou hora e meia.
Mas na verdade qualquer pessoa pode aprender a sentar em meio lótus, ainda que no início possa causar alguma dor. Gradualmente, após algumas semanas de treino, a posição se tornará confortável. No início, enquanto a dor ainda causar muito desconforto, a pessoa, deve alterar a posição das pernas ou a posição de sentar. Para as posturas de lótus completo e meio lótus convém sentar-se sobre uma almofada, de forma a que os dois joelhos se apóiem contra o chão. Os três pontos de apoio dessa posição proporcionam uma grande estabilidade.
Mantenha as costas eretas. Isso é muito importante. O pescoço e a cabeça devem ficar em alinhamento com a coluna. A postura deve ser reta mas não rígida. Mantenha os olhos semi-abertos, focalizados a uns dois metros à sua frente. Mantenha leve sorriso. Agora comece a seguir sua respiração e a relaxar todos os músculos. Concentre-se em manter sua coluna ereta e em seguir sua respiração. Solte-se quanto a tudo mais. Abandone-se inteiramente. Se quiser relaxar os músculos de seu rosto, contraídos pelas preocupações, medo e tristeza, deixe um leve sorriso aflorar em sua face. Quando o leve sorriso surge, todos os músculos faciais começam a relaxar. Quanto mais tempo o leve sorriso for mantido, melhor.
À altura do ventre, pouse sua mão esquerda com a palma voltada para cima sobre a palma da mão direita. Solte todos os músculos dos dedos, braços e pernas. Solte-se todo como as plantas aquáticas que flutuam na corrente, enquanto sob a superfície das águas o leito do rio permanece imóvel. Não se prenda a nada a não ser à respiração e ao leve sorriso.
Para os principiantes, convém não ficar sentado além de vinte ou trinta minutos. Durante esse tempo você tem que ser capaz de obter descanso total. A técnica para tal obtenção reside em duas coisas: observar e soltar, observar a respiração e soltar tudo mais. Solte cada músculo de seu corpo. Após uns quinze minutos, uma serenidade profunda poderá ser alcançada, enchendo-o interiormente de paz e contentamento. Mantenha-se nessa quietude.Esta prática é dos melhores remédios para aliviar o stress.

20 de jul de 2011

YOGA BRAZIL --- QUANTO VOCÊ VALE

Um famoso conferencista começou um seminário segurando uma nota de 20 dólares.
Numa sala com 200 pessoas, ele perguntou:
Quem quer esta nota de 20 dólares?
Mãos começavam a erguer-se quando ele disse:
Eu darei esta nota a um de vocês, mas, primeiro, deixem-me fazer isto.
Então ele amassou a nota. E perguntou, outra vez:
- Quem ainda quer esta nota?
As mãos continuaram erguidas.
- Bom! - disse ele - e se eu fizer isto?
E deixou a nota cair, pisou nela e começou a esfregá-la contra o chão.
Depois pegou a nota, agora imunda e amassada, e perguntou:
- E agora? Quem ainda quer esta nota?
Todas as mãos permaneceram erguidas.
- Meus amigos, todos devemos aprender esta lição: não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês ainda irão querer esta cédula, porque ela não perde o valor. Ela sempre valerá 20 dólares.
E continuou:
- Pois é! Essa situação também se dá conosco...
Muitas vezes, em nossas vidas, somos amassados, pisoteados e ficamos sujos por decisões que tomamos ou pelas circunstâncias que vêm em nossos caminhos. E, assim, ficamos nos sentindo desvalorizados, sem importância.
- Porém, creiam, não importa o que aconteceu ou o que acontecerá, jamais perderemos o nosso valor . Quer estejamos sujos, quer estejamos limpos, quer amassados ou inteiros, nada disso altera a nossa importância, a nossa valia.
- O preço de nossas vidas não é pelo que fazemos ou sabemos, mas pelo que somos. E somos muito especiais.


19 de jul de 2011

YOGA BRAZIL --- TRIBUTO A PAZ


Cure o Mundo

"Pense sobre as gerações e elas dizem:
Nós queremos fazer deste mundo um lugar melhor
Para nossos filhos
E para os filhos dos nossos filhos.

Para que eles vejam
Que este é um mundo melhor para eles
E saibam que podem
fazer deste um lugar ainda melhor.

Há um lugar no seu coração
E eu sei que é amor
E este lugar pode ser
Muito mais brilhante do que amanhã

E se você realmente tentar
Você descobrirá que não há necessidade de chorar
Neste lugar você vai sentir
Que não há mágoa ou tristeza

Há caminhos para chegar lá
Se você se importa o suficiente com a vida
Crie um pequeno espaço
Crie um lugar melhor

Cure o mundo
Faça dele um lugar melhor
Para você e para mim
E toda a raça humana

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Faça dele um lugar melhor
Para você e para mim

Se você quer saber porque
O amor não pode mentir
O amor é forte
E só nos dá dádivas alegres

Se nós tentarmos, nós veremos
Nesta benção
Não podemos sentir medo ou temor
Paremos o existir e comecemos o viver

Em seguida, sempre sentiremos
Que o amor é suficiente para nós crescermos
Então faça um mundo melhor
Faça um mundo melhor

Cure o mundo
Faça dele um lugar melhor
Para você e para mim
E toda a raça humana

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Faça dele um lugar melhor
Para você e para mim

E o sonho em que fomos concebidos
Revelará um rosto alegre
E o mundo em que sempre acreditamos
Brilhará novamente em graça

Então por que continuamos sufocando a vida?
Ferindo a Terra, crucificando sua alma...
Mas é claro ver
Que este mundo é divino, é a luz de Deus

Nós podemos voar tão alto
E nunca deixe nossos espíritos morrerem
No meu coração eu sinto
Vocês todos meus irmãos

Crie um mundo sem medo
Juntos nós choraremos lágrimas de alegria
Veja as nações transformarem suas espadas
Em arados

Nós realmente poderíamos chegar lá
Se você se importou o suficiente com a vida
Faça um pouco de espaço
Para fazer um lugar melhor

Cure o mundo
Faça dele um lugar melhor
Para você e para mim
E toda a raça humana

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Faça dele um lugar melhor
Para você e para mim [3x]

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Faça dele um lugar melhor
Para você e para mim[2x]

Para você e para mim
(Faça um lugar melhor)[3x]

Para você e para mim
(Cure o mundo em que vivemos)
Para você e para mim
(Salve-o para nossas crianças)[4x]

18 de jul de 2011

YOGA BRAZIL --- SAÚDE PERFEITA


A prática de Yoga completa os reservatórios da esperança e do otimismo dentro de você. Ela o ajuda a suplantar todos os obstáculos no caminho para a saúde perfeita e para o contentamento espiritual. É um renascimento.
                                             NAMASTÊ!